terça-feira, 15 de julho de 2008

FÁBULA

Texto enviado aos amigos pelo jornalista Madruga Duarte, do Consultório de Idéias.

Um caminhante se perdeu num deserto.
Quando está próximo de morrer, por falta de água, chega até ele um cavaleiro que lhe oferece um cantil de água, em troca de uma enorme soma de dinheiro, que equivale a todo o seu patrimônio. O caminhante aceita. Porem o cavaleiro quer, então, uma segunda condição: que o caminhante aceite também ser seu escravo. O caminhante se nega.

Depois de afastar-se dele e de permitir uma morte eminente, o cavaleiro parece não entender o caminhante. Se estava disposto a perder o seu patrimônio para salvar sua vida, por que preferiu depois perdê-la?

O que o cavaleiro, que era mercador, não havia compreendido era que a segunda condição havia mudado a natureza de seu encontro com o caminhante. Porque era traduzida em dinheiro, a primeira condição refletia um interesse e os interesses são negociáveis. De fato, desde o ponto de vista de seus interesses, nesse momento, o cantil de água valia mais que todo o patrimônio do caminhante. Porém, este não aceitou a segunda condição depois de haver aceitado a primeira, porque ela já não estava focada numa questão de valores, sim numa questão de princípios e, ao contrário dos valores, os princípios são inegociáveis.

Traduzido do espanhol por Md. Autor desconhecido.

Um comentário:

Laura Junkes disse...

É uma pena que muita gente não saiba a diferença entre eles...